Adriane Veiga: Abuso Financeiro, entenda o que é e veja se você está sofrendo




Muitas pessoas não sabem o que é Abuso financeiro, e não é acusar os homens, pois tem muitos homens que não sabem o que é abuso financeiro. E você mulher sabe o que é?


O abuso financeiro acontece em 99% das situações de violência doméstica. Muitas vezes começa de forma sutil e vai ganhando força. O problema é que, apesar de comum, não é o tipo de coisa que costuma ser registrado ou muito falado.


O abuso vem disfarçado de um cuidado excessivo. Ele é cuidadoso e atencioso e se disponibiliza a cuidar de tudo para ela, inclusive do dinheiro, afinal, “sabe lidar melhor com dinheiro, já que é homem”.


Tem companheiros que falam “a minha mulher não quer saber, ela optou em não saber nada” será que ela optou ou se sente incapaz de fazer algo, pois ouviu a vida toda que mulher é não sabe lidar com dinheiro.


Quando a mulher sofre abuso financeiro e passa a não ter mais direito sobre suas próprias finanças, ou ainda, quando o homem se aproveita do fato de ser o único ou o principal gerador de renda para humilhá-la ou controlá-la, torna- se mais difícil romper um ciclo de relacionamento abusivo. Isso porque, em muitos casos, a mulher depende do abusador financeiramente e tem medo de não ter como se sustentar ou sustentar os filhos.


Para começar a romper o ciclo de abuso é preciso, primeiramente, reconhecer o que está havendo. Falamos especialmente com as mulheres, pois apesar de haver falta de dados nesse sentido, acredita-se que elas sejam a maioria das vítimas.

• O abusador quer controlar o salário da vítima, pedir acesso a senhas e cartão de crédito e se colocar em posição de cuidador das finanças;

• O abusador menospreza a capacidade da vítima de cuidar do próprio dinheiro;

• Ele humilha e manipula a vítima por ser o único provedor de renda na família, dizendo coisas como “Sou eu que ganho, então sou eu que mando”;

• Ele começa a prejudicar o trabalho da vítima e sua capacidade de geração de renda, tentando fazer com que perca sua liberdade financeira e se torne mais dependente.


A mulher precisa tomar consciência que, mesmo que ela não trabalhe fora, tem direito de ser protagonista na vida financeira do casal. Afinal, estar em casa, cuidar dos filhos e do serviço doméstico, custa muito!


Faça um exercício de colocar na ponta do lápis quanto custa manter em casa: uma empregada doméstica, uma cozinheira, uma passadeira, uma babá e uma faxineira. Percebe o quanto você também está investindo na relação?


"Além disso, é fundamental investir no seu autoconhecimento, que é o caminho para te ajudar a resgatar sua confiança, autoestima os quais são ferramentas importantíssimas para ajudar você a se posicionar num relacionamento, ou terminar por perceber que não o quer mais.