top of page

Aumenta para 107 o número de mortes provocadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul

Aumentou para 107 o número de mortes provocadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul, de acordo com balanço divulgado na noite desta quinta-feira (9) pela Defesa Civil Estadual.

Pelo menos 134 pessoas estão desaparecidas e 754 ficaram feridas. Quase 400 mil encontram-se desalojadas ou desabrigadas.

No total, 431 municípios do Estado registraram danos em razão dos temporais dos últimos dias. Conforme o boletim da Defesa Civil, mais de 1,7 milhão de pessoas foram afetadas pelas cheias que assolam o RS.

Boletim 

Municípios afetados: 431

Pessoas em abrigos: 68.519

Desalojados: 327.105

Afetados: 1.742.969

Feridos: 754

Desaparecidos: 134

Óbitos confirmados: 107

Óbitos em investigação*: 1

Nível das águas às 18h

Lago Guaíba – Porto Alegre – 4,88 metrosRio dos Sinos – São Leopoldo – 6,34 metrosRio Gravataí – Passo das Canoas – 5,97 metrosRio Taquari – Muçum – 5,15 metrosRio Caí – Feliz – 2,87 metrosRio Uruguai – Uruguaiana – 11,49 metros (nível de inundação 15)Lagoa dos Patos (Laranjal) – 2,25 metros (nível de inundação 1,50)

Energia elétrica, água e telefonia

CEEE Equatorial: 179.101 pontos sem energia elétrica (9,94% do total de clientes);RGE Sul: 184.200 pontos sem energia elétrica (5,9% do total de clientes);Corsan: 438.230 clientes sem abastecimento de água (15% do total de clientes);Tim: 12 municípios sem serviços de telefonia e internet;Vivo: 55 municípios sem serviços de telefonia e internet;Claro: 3 municípios sem serviços de telefonia e internet.

Panorama nas escolas estaduais

Dados das escolas afetadas (danificadas, servindo de abrigo, com problemas de transporte, com problema de acesso e outros):

975 escolas239 municípios28 CREs356.948 estudantes impactados438 escolas danificadas com 183.028 estudantes matriculados.74 escolas servindo de abrigo

Retomada das aulas

CREs que já retomaram as aulas: Uruguaiana (10ª); Osório (11ª); Erechim (15ª); Palmeira das Missões (20ª); Três Passos (21ª); São Luiz Gonzaga (32ª); São Borja (35ª) e Ijuí (36ª); Caxias do Sul (4ª), Santa Cruz do Sul (6ª), Passo Fundo (7ª), Santa Maria (8ª), Cruz Alta (9ª), Bagé (13ª), Santo Angelo (14ª), Bento Gonçalves (16ª), Santa Rosa (17ª); Santana do Livramento (19ª); Vacaria (23ª); Soledade (25ª) e Carazinho (39ª).

CREs com aulas suspensas até sexta-feira (10): Pelotas (5ª) e Rio Grande (18ª)

CREs sem previsão de retomada: Porto Alegre (1ª ), São Leopoldo (2ª), Estrela (3ª), Guaíba (12ª), Cachoeira do Sul (24ª) e Canoas (27ª), Gravataí (28ª).

R$ 19 bilhões

O governador Eduardo Leite anunciou, nesta quinta que serão necessários, ao menos, R$ 19 bilhões para executar o plano de reconstrução do Estado. O cálculo baseia-se em estimativas preliminares e em comparativos com os esforços empregados para responder ao desastre ocorrido em setembro de 2023 no Vale do Taquari.

“Pelas necessidades que observamos até o momento, esse é o montante que será necessário para financiar as políticas públicas e restabelecer lugares e vidas que foram afetados. O Estado vai ser especialmente demandado em estradas, habitação, crédito subsidiário e ações sociais para atender as pessoas atingidas”, disse o governador.

De acordo com o levantamento inicial, serão necessários mais de R$ 218,6 milhões para ações de resposta ao desastre; quase R$ 2,5 bilhões para ações de assistência; mais de 7,2 bilhões para políticas de restabelecimento; e quase R$ 9 bilhões para reconstrução.


por O SUL



Comments


bottom of page