Bandeiras são um show à parte na Expodireto

As gigantescas bandeiras do Brasil e do Rio Grande do Sul tremulando ao vento estão entre os principais símbolos da Expodireto Cotrijal. Elas são hasteadas, pontualmente, às 8h, sob execução do Hino Nacional e são monitoradas durante o dia inteiro. O responsável pela operação é o técnico de projetos Ederson André Galvagni, que acompanha a feira desde sua criação. “Na primeira edição, em 2000, tínhamos apenas a bandeira nacional e veio um guindaste do Exército, de Santa Maria. No ano seguinte, estreou a bandeira do Rio Grande do Sul”, comenta Galvagni. O hasteamento é um evento à parte. Lentamente, as duas são erguidas enquanto centenas de visitantes filmam e fotografam a cena. Ao mesmo tempo, Galvagni vai orientando os operadores dos guindastes. “Não é uma operação fácil, tem que estar em contato direto com os operadores porque eles não têm muita noção lá dentro dos guindastes. Tentamos levantá-las com calma, até para facilitar as fotos dos visitantes. Dá um orgulho grande”, comemora. Segundo Galvagni, ambas bandeiras possuem 14x24 metros. No chão, cada uma pesa cerca de 100 quilos. Durante o dia, o técnico monitora o vento. Com 22 edições da Expodireto de experiência, ele já sabe até o horário em que os ventos mudam. “Antes do meio-dia, já giramos os guindastes para garantir que as bandeiras não enrolem nas hastes e estejam sempre bonitas e tremulando”, afirma. As bandeiras são abaixadas às 18h, mas não ao mesmo tempo. Uma de cada vez, elas são esparramadas pela grama e logo enroladas para brilhar novamente no dia seguinte. Mas não são apenas as bandeiras que Galvagni acompanha durante o dia. Ele também é responsável por toda a parte elétrica e hidráulica da feira. O serviço de montagem no Parque de Exposições iniciou entre os dias 10 e 15 de janeiro. A desmontagem, completa, está prevista para ocorrer no final de março.

Fonte: Assessoria de Imprensa e Marketing da Cotrijal