Carteira de crédito do Sicredi cresce 36,9% em 2021, gerando desenvolvimento para as pessoas e comun



Carteira de crédito atinge R$133,1 bilhões

Construindo junto com seus 5,5 milhões de associados uma sociedade mais próspera, mantendo a missão de oferecer soluções financeiras para agregar renda e contribuir para a melhoria da qualidade de vida da sociedade, o Sicredi, segue em ritmo acelerado de crescimento. Em 2021, a instituição registrou crescimento de 36,9% em sua carteira de crédito, totalizando R$ 133,1 bilhões. Deste total, cerca de 35% foi para associados do setor rural, 34% para pessoas jurídicas e 31% para pessoas físicas.


“O ano de 2021 foi marcado por um trabalho muito forte realizado pelas nossas cooperativas de continuar próximas aos associados, focando suas necessidades e, entre outras ações, o crédito foi um instrumento fundamental para isso. Os dados comprovam ainda o diferencial do modelo cooperativista em seu relacionamento próximo, prestando sempre atendimento consultivo, com indicação de soluções que atendam a necessidade, mas não gerem endividamento aos associados”, afirma João Tavares, diretor presidente do Banco Cooperativo Sicredi.


Do total da carteira, o crédito destinado ao setor Rural finalizou 2021 com o valor recorde de R$ 47,2 bilhões, crescimento de 41% em comparação com 2020. Do total, R$ 12,2 bilhões foram destinados à agricultura familiar por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e R$ 7,9 bilhões foram concedidos aos produtores de médio porte por meio do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp). O dado consolida o Sicredi como a segunda maior instituição financeira em fomento do agronegócio no país, além de evidenciar o apoio aos pequenos produtores.


A participação do crédito destinado às pessoas jurídicas foi de R$ 44,4 bilhões em 2021, aumento de 33% em comparação ao fechamento do ano anterior. Já o crédito para as pessoas físicas finalizou o ano em R$ 41,5 bilhões, crescimento de 37%. O modelo de atuação próximo da comunidade também faz com que o aumento do crédito não impacte a inadimplência, já que a concessão se dá de forma consultiva e voltada à realidade de cada associado. Dessa forma, a inadimplência se manteve abaixo de 1%, finalizando 2021 em 0,92%, patamar levemente inferior ao ano anterior.


Em 2021, o Sicredi atingiu resultado líquido de R$ 4,8 bilhões, 43,6% maior quando comparado com o fechamento do ano anterior. Os resultados são destinados aos associados e ao fortalecimento da própria instituição, permanecendo nas regiões onde são gerados, criando um círculo virtuoso que amplia a capacidade de atendimento da instituição, ampliando seu impacto positivo onde está inserida. Os ativos alcançaram um total de R$ 197,6 bilhões em 2021, crescimento de 27,6% em relação ao encerramento de 2020. O patrimônio líquido ficou em R$ 24,9 bilhões, crescimento de 23%.


O Sicredi finalizou 2021 com 5,5 milhões de associados, ante 4,9 milhões em 2020, um aumento de 13,8%. A instituição financeira cooperativa terminou o ano com 2.203 agências, o que representa um crescimento de 10,7% em relação a 2020. Através da presença física e do uso dos meios digitais, o Sicredi se mantém cada vez mais próximo de seus associados e das comunidades em que está inserido. O ano também marcou a entrada do Sicredi no Amapá e no Espírito Santo. A instituição fechou 2021 com atuação em 1,6 mil municípios, sendo que em mais de 200 deles é a única instituição financeira fisicamente presente. Atualmente, com a inauguração da primeira agência em Roraima, realizada já em 2022, o Sicredi está presente em todos estados brasileiros e no Distrito Federal.


Agenda ESG

Os números financeiros do Sicredi cresceram em sintonia com seus avanços nas práticas de impacto social e compromisso com o desenvolvimento sustentável. Somente no ano passado, foram concedidos R$ 24,6 bilhões em produtos da economia verde, que são aqueles que geram benefícios ambientais e sociais. O ano também marcou o lançamento do Sicredi FIC Ações Sustentáveis ESG, primeiro fundo de investimento com foco ESG da instituição, composto por ações de empresas da B3 referências em boas práticas sociais, ambientais e de governança.


A instituição neutralizou 100% das suas emissões de gases de efeito estufa por meio do apoio a cinco projetos alinhados aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). Além disso, por meio de auto geração de energia solar, reduziu o equivalente à emissão de 580 toneladas de dióxido de carbono.


O Sicredi realizou em 2021 mais de 7,6 mil ações com foco em promover a educação financeira, as quais impactaram 19 milhões de pessoas entre associados e comunidade em geral. No Dia de Cooperar (Dia C), através de voluntariado, foram arrecadadas mais de 1,6 mil toneladas de alimentos para doação, que beneficiaram diretamente cerca de 400 mil pessoas. Os programas sociais com viés educacional conduzidos pelo Sicredi beneficiaram 441 mil crianças e adolescentes no ano.


Avanços na agenda de Governança

Com um modelo de governança reconhecido mundialmente, o Sicredi é organizado em um sistema formado por 108 cooperativas de crédito, cinco centrais regionais, a Confederação Sicredi, o Banco Cooperativo e demais empresas controladas e sua controladora, a Sicredi Participações. A Holding Sicredi Participações, consolida as decisões estratégicas do Sistema, contando com um Conselho de Administração formado por 13 membros, que inclui o presidente do Conselho, representantes das centrais, cooperativas singulares, um representante do parceiro holandês Rabobank e uma conselheira independente.


Como evolução desse modelo de governança, desde 23 de março de 2022, Fernando Dall'Agnese passa a atuar exclusivamente como presidente da SicrediPar e deixa a presidência da Central Sicredi Sul/Sudeste. As alterações ocorrem em linha com as novas políticas de governança do Sicredi.


“Ressaltamos a importância desse passo, o qual ratifica o comprometimento do Sicredi com a consolidação de uma estrutura de governança sólida e diversa, que possibilite ainda mais acerto nas tomadas de decisões estratégicas do nosso Sistema”, afirma Fernando Dall'Agnese, presidente da SicrediPar.


Março de 2022 também marcou a entrada da primeira conselheira nos Conselhos de Administração da SicrediPar e do Banco Cooperativo. Andiara Petterle passa a ocupar a função de conselheira independente de Administração dessas instituições. Andiara tem mais de 20 anos de experiência liderando empresas em jornadas de transformação e crescimento, atuando em múltiplas funções como conselheira de administração, executiva, investidora e empreendedora. Atua em conselhos com foco em transformação de negócios, cultura, digital e ESG.