Centro de Valorização da Vida atende 2,5 milhões que buscam "desabafo"


Disponíveis 24 horas por dia, todos os dias da semana, o serviço atende qualquer pessoa. As pessoas ligam pelos mais diversos motivos para falar dos seus problemas e suas histórias de vida. A pessoa que busca o CVV tem garantido o total sigilo e não precisa se identificar. Os voluntários oferecem apoio emocional, sem aconselhar, criticar e julgar.


A gratuidade em todo país passou a ser possível por meio de uma parceria com o Ministério da Saúde. De acordo com o CVV, gastos são custeados pelo próprio serviço, por meio de doações de algumas empresas e, na sua maioria, de pessoas físicas.



Após a entrada de funcionamento do 188 em vários estados o Ministério da Saúde ofereceu R$ 500 mil em convênio para auxiliar o CVV na capacitação e desenvolvimento de voluntários. Esse recurso auxiliaria nos custos operacionais, como hospedagem e passagens aéreas de voluntários, informou a instituição.


O CVV conta hoje com 85 unidades, distribuídas nas grandes cidades brasileiras, reunindo cerca de 2.400 voluntários que recebem aproximadamente 2,5 milhões de contatos por ano.