Chuvas não recuperam lavouras e momento é de proteger o que restou, avalia agrônomo

#PortalEstaEmTudo

Fonte: Site Uirapuru


O calor histórico deu uma trégua e com a chegada da chuva na última semana. Porém, a previsão de bons volumes acabou não se confirmando em Passo Fundo. Dados apontaram, até domingo, cerca de 10 milímetros chovidos na cidade, variando de acordo com cada área. A chuva chegou tarde e a região amarga duras perdas na soja, que conforme dados da Emater chega próximo a 50%. O assunto foi debatido no programa Cotações e Mercado do último domingo na Uirapuru.


Apresentado por Jair Ineri Lazarotto, o programa contou com a participação novamente de cerealistas, engenheiros agrônomos e analistas de mercado. O engenheiro agrônomo Lamar Sakis explicou que a chuva não reverteu o quadro de perdas. O que se perdeu no milho e soja não volta mais. No entanto, é preciso cuidar para manter o que restou e garantir alguma produtividade, especialmente em variedades de grupo de maturação mais longo, ou plantadas em novembro e dezembro.


Isso será alcançado conversando com o seu técnico responsável para traçar ações diante deste novo quadro. Na seca os ácaros e lagartas atacaram as plantas. Com a volta da umidade há possibilidade de fazer o controle e diminuir o impacto das pragas no que restou da produção em andamento.


Produção que está, no momento considerado crítico e que precisa de mais água.

Para esta semana a meteorologia aponta a volta das chuvas a partir de quinta-feira, com maiores volumes no sábado.