top of page

Confirmada quarta morte por dengue no Estado neste ano


Mais um óbito por dengue foi confirmado no Rio Grande do Sul pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), vinculado à Secretaria da Saúde, nesta quarta-feira (12/4). Esta é a quarta morte ocasionada pela doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti neste ano. Trata-se de um homem de 23 anos, residente no município de Joia, que tinha síndrome de Down, obesidade e cardiopatia. O óbito ocorreu em 9 de abril.


A SES reforça a importância de que a população procure atendimento médico nos serviços de saúde logo nos primeiros sintomas. Dessa forma, evita-se o agravamento da doença e a possível evolução para óbito.


Medidas de prevenção à proliferação e circulação do Aedes, como a limpeza e revisão das áreas interna e externa das casas e apartamentos e a eliminação dos objetos com água parada, são ações que impedem o mosquito de nascer, cortando o ciclo de vida na fase aquática.


O uso de repelente também é recomendado para maior proteção individual contra o Aedes aegypti.


Situação epidemiológica


Neste ano, o Rio Grande do Sul registra 5.132 casos confirmados da doença, dos quais 4.698 são autóctones (contágio aconteceu dentro do Estado) e os demais importados (residentes do RS que foram infectados em viagem a outro local).


Em 2022, o Estado registrou seus maiores índices da doença em toda sua série histórica: mais de 57 mil casos autóctones, 11 mil importados e 66 óbitos por dengue.


Principais sintomas da dengue

  • febre alta (39°C a 40°C), com duração de dois a sete dias

  • dor atrás dos olhos

  • dor de cabeça

  • dor no corpo

  • dor nas articulações

  • mal-estar geral

  • náusea

  • vômito

  • diarreia

  • manchas vermelhas na pele, com ou sem coceira

Texto: Ascom SES Edição: Secom


Comments


bottom of page