Conselho Municipal dos Direitos da Mulher distribuirá flores neste sábado (07)

#PortalEstáemTudo


O Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Não-Me-Toque realizará neste sábado (07), uma ação alusiva a campanha "Violência Contra a Mulher: Não se cale!". Serão entregues mais de 1.300 flores em diferentes pontos da cidade: próximo ao Supermercado Cotrijal sede e centro, proximidades do Mercado Casa do Pão e Mercado do Juca.


A campanha "Violência Contra a Mulher: Não se cale! é um convite a reflexão e conscientização de toda a sociedade para o fim da violência contra a mulher.


A violência contra a mulher se manifesta em diversas maneiras, como:


- Violência Física: a violência física consiste em qualquer tipo de agressão física que prejudique a saúde ou integridade corporal da vítima. Tapas, chutes, empurrões, socos, puxões de cabelo e outros gestos físicos violentos se enquadram nessa categoria.


- Violência Psicológica: é considerada qualquer conduta que cause dano emocional e diminuição da autoestima da mulher, podendo ser humilhação, ofensas, perseguição, chantagem, insulto, exploração, vigilância constante e limitar e ir e vir.


- Violência sexual: entendida como qualquer conduta que a constranja a presenciar, a manter ou a participar de relação sexual não desejada, mediante intimidação, ameaça, coação ou uso de força.


- Violência moral: são classificadas como violência moral, ações como difamação, calúnia, injúria ou outras atitudes que visam prejudicar a imagem da vítima diante de outras pessoas.


- Violência patrimonial: destruir pertences pessoais, se apossar de objetos particulares da vítima ou mesmo ameaçá-la a transferir dinheiro e outros bens para o agressor são algumas das situações que são caracterizadas como violência patrimonial.


- Violência Virtual: expor ou compartilhar fotos e vídeos íntimos pela internet, sem autorização da mulher, com o propósito de humilhá-la ou chantageá-la, ou ainda utilizar redes sociais e celulares para propagar comentários depreciativos em relação a mulher são consideradas formas de violência virtual.


Não tenha medo, denuncie!


Central de atendimento a mulher: 180

Brigada Militar: 190

Denunciar Violação de Direitos Humanos: 100

CREAS: 54 3332 3328

CREAS: 54 9 9674 6341