top of page

Cotrijal: Divulgados os vencedores do Concurso Árvores Gigantes

Considerada um símbolo da vida, a árvore tem um papel fundamental na preservação do meio ambiente. Em 21 de setembro, é comemorado o Dia da Árvore e para celebrar a data, o Laboratório de Manejo da Vida Silvestre da Universidade de Passo Fundo (Lamvis/UPF) divulgou o resultado do concurso Árvores Gigantes.

Para a primeira edição, a espécie escolhida foi a Araucária angustifólia, popularmente conhecida como pinheiro-brasileiro. Ao todo, 25 árvores foram inscritas, de seis municípios da região: Passo Fundo, Mato Castelhano, Carazinho, Coqueiros do Sul, Tapera e Palmeira das Missões.

As três primeiras colocadas são do município de Coqueiros do Sul. Elas têm entre 5,18 metros e 5,67 metros de circunferência, além de alturas que variam de 30 a 36 metros e uma média de idade de 300 anos cada.

“Ao participar do concurso, tentamos chamar a atenção para as matas da Fazenda Coqueiros, que são uma riqueza e são um mérito do meu avô por ter preservado. Esse é um concurso que eu ficaria feliz até se perdesse. Queria que essas árvores não fossem exceção, fossem regras, que tivessem muitas outras maiores que elas. É nosso dever usar as sementes delas e plantar mais árvores em todo lugar, pois é muito importante preservá-las”, comenta Homero Guerra Neto, administrador da propriedade em que as três primeiras colocadas estão localizadas.

Lançado no mês de junho, no Dia do Meio Ambiente, o concurso teve como objetivo identificar as maiores árvores da região do Planalto Médio do Rio Grande do Sul, a fim de valorizar a biodiversidade da flora nativa da região e incentivar a preservação ambiental.

“A árvore se tornou um símbolo da vida e temos clareza que, mais importante que a árvore, é a floresta e a biodiversidade como um todo, por todo serviço que ela presta para a sociedade, seja na manutenção da fauna, dando alimento e abrigo, seja sequestrando carbono”, afirma o coordenador do Lamvis, professor Dr. Jaime Martinez, ao destacar que a ideia é dar prosseguimento ao concurso nos próximos anos escolhendo outras espécies de árvores nativas.

“Essas gigantes que participaram do concurso, cada uma delas estoca cerca de 100 kg de carbono por ano, temos plantas de 300 a 400 anos. Soluções para salvar as florestas a gente tem, precisamos colocar em prática”, complementou Martinez.

O concurso foi promovido pelo Lamvis, com a apoio do Projeto Internacional Transformando Universidades para um Clima em Mudança (CLIMATE-U), Green Office/UPF, Projeto Charão (AMA/UPF), Prefeituras Municipais de Passo Fundo, Carazinho, Mato Castelhano, Palmeira das Missões, Coqueiros do Sul e Tapera, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), por meio da Floresta Nacional de Passo Fundo (Flona), Cotrijal, Coprel, Emater/RS, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Passo Fundo, Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Programa de Pós-graduação em História (PPGH/UPF).

Confira a circunferência das 10 maiores araucárias do Planalto Médio:

1°, 2° e 3° lugar: Coqueiros do Sul - 5,67 metros; 5,55 metros e 5,18 metros, respectivamente 4° lugar: Mato Castelhano - 5,10 metros 5° lugar: Carazinho - 4,70 metros 6°, 7° e 8° lugar: Tapera - 4,27 metros; 4,17 metros e 4,12 metros 9° lugar: Passo Fundo - 3,8 metros 10° lugar: Tapera - 3,72 metros

Fonte: Assessoria de Imprensa da UPF Fotos: Caroline Lima e Divulgação


bottom of page