Cotrijal inova e chama crianças para o Dia de Campo

@AscomCotrijal

Uma gurizada esperta, a maioria, filhos de agricultores, movimentou a Cotrijal de Santo Antônio do Planalto, nesta segunda-feira, 15. O Dia de Campo para crianças, um projeto-piloto da unidade, atraiu em torno de 60 alunos dos 1º e 5º anos da EMEF São Paulo. Acostumados a atender grupos de produtores, agrônomos tiveram que se desdobrar para responder a todas as dúvidas. 


A estudante do 5º ano Nicoly Haenel, de 11 anos, aprendeu mais sobre as variedades de trigo, manejos, o caminho até a indústria e como fazer um pão saboroso com o tipo certo de cereal. “Bem legal. Fica bem mais fácil aprender assim. Agora eu sei que se não usar o tipo correto, o alimento dá errado”, comentou. A família produz grãos e leite e o que ela mais gosta é de tratar dos terneiros, todos com apelido especial. Os preferidos de Nicoly são o Cara Branca e a fêmea Rabinho Torto. 


Arthur Bangemann, 6, estava ansioso para ver como se dá a semeadura e o processo de panificação. O que ele mais gostou foi de colocar a mão na massa. “Gostei de saber como cresce o pão”, falou. Apesar da pouca idade, o menino aprendeu que por trás do pão e biscoito na prateleira do supermercado existe muita tecnologia e profissionais envolvidos. Já o garoto Heitor Auler, 6, disse que o pai planta trigo e agora vai ficar mais fácil falar de lavoura com ele. Os pequenos também ganharam lanche, doces e brindes. 


“Foi desafiador, mas empolgante. Eles querem saber o porquê de tudo. A gente também aprende”, resumiu o engenheiro agrônomo Fernando Cirolini. Com 17 anos de casa, ele já havia participado de Dia de Campo com mulheres, mas com crianças foi a primeira vez. “Uma experiência muito positiva. Que venham outros iguais a esse”, complementou. A iniciativa envolveu ainda os agrônomos Daniel Müller e Saimom Sozo e demais colaboradores.


Para a professora Ivete Griebler, a ação foi um marco para a escola. “Além de incentivar o amor pela agricultura, fortalece o cooperativismo”. Divididos em duas turmas, alunos percorreram parcelas acompanhados pela diretora Solange Müller e professores dos 1º e 5º anos. O coordenador técnico de Difusão da Cotrijal, Alexandre Doneda, prestigiou iniciativa. 


“Eles são o futuro da Cotrijal. A ideia era mostrar de onde vem o pão que eles consomem em casa. Nos surpreendeu o interesse e participação de todos”, ressaltou a gerente da Unidade, Aline Luersen.