Cotrijal promove inclusão para PCDS através do "viveiro da cidadania"

#PortalEstáemTudo


Em busca de promover a inclusão social de pessoas com deficiência (PCDs) no mercado de trabalho, a Cotrijal está implementando o projeto Viveiro da Cidadania. Foram contratados 20 colaboradores PCDs que trabalharão na produção de mudas florestais.


Simone Rohrig, gerente da área de Desenvolvimento Humano e Organizacional da Cotrijal, destaca que com o projeto a cooperativa reitera sua responsabilidade social, econômica e ambiental com as comunidades onde está inserida. “Atualmente são 72 PCDs trabalhando nas diversas unidades da Cotrijal e uma turma com 10 PCDs participando do Programa Aprendiz Cooperativo. Agora, com o Projeto Viveiro da Cidadania, vamos ampliar esta inclusão, levando renda, autoestima e oportunidades para as famílias”, ressalta.


O viveiro com 600 metros quadrados está sendo construído dentro da sede da Apae em Passo Fundo – entidade parceira do projeto. A estrutura é nova e adaptada aos trabalhadores, alunos da Apae com idade entre 18 e 55 anos. “Através desse projeto terão a oportunidade de participar ativamente do mercado de trabalho, com carteira assinada e todos os direitos trabalhistas garantidos. Os frutos deste viveiro vão muito além da contribuição ambiental. Ele trará dignidade, senso de pertencimento e autoestima”, acrescenta a coordenadora do projeto, Maria Carolina Rovani.


Os colaboradores cumprirão carga horária de 20 horas semanais em contra turno aos horários escolares para trabalhar no plantio e cultivo para formação das mudas. Eles terão remuneração superior ao Benefício de Prestação Continuada para pessoas com deficiência, além de Programa de Participação nos Resultados, convênios da associação de funcionários e seguro de vida.


“A Cotrijal será a primeira cooperativa no Rio Grande do Sul a ter um projeto neste formato, atuando na área de inclusão social e preservação ambiental”, enfatiza o superintendente Administrativo-Financeiro, Marcelo Ivan Schwalbert.


Conscientização ambiental – O viveiro não possui fins comerciais. As mudas de espécies nativas serão utilizadas pela Cotrijal para a recuperação de áreas degradadas, arborização de áreas urbanas e rurais, entre outros fins, com distribuição gratuita, nos 32 municípios da área de ação da cooperativa.


Parceria oficializada – O convênio foi assinado no dia 4 de março, na Expodireto Cotrijal, na casa da Cotrijal, reunindo o presidente da cooperativa Nei César Manica, o vice-presidente Enio Schroeder e a presidente da Apae Maria do Carmo Ortolan Grazziotin.


“Agradecemos a Cotrijal por possibilitar que juntos promovamos a inclusão, o pertencimento ao mercado de trabalho, o desenvolvimento profissional e pessoal, o aprendizado de novas rotinas sociais para si e suas famílias e renda”, enfatizou a presidente da entidade.




Fonte: Assessoria de Imprensa da Cotrijal

5a4e2ef62da5ad73df7efe6e_edited.png
  • Instagram
  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

© COPYRIGHT 2019, PORTALNMT

TERMO DE USO   |  PRIVACIDADE

WhatsApp-icone.png