Criminosos tentam aplicar o golpe do falso sequestro em Não-Me-Toquenses

#PortalEstaEmTudo


Várias pessoas de Não-me-Toque estão relatando nesta semana terem recebido ligações com a já conhecida tentativa do golpe do falso sequestro.


O mais recente caso, foi relatado nesta terça-feira pela senhora de iniciais L. S., 77 anos, moradora do bairro Santo Antônio, que recebeu uma ligação próximo ao meio dia, do outro lado da linha um falso sequestrador e uma mulher gritando pedidos de ajuda a sua suposta mãe. Dona Leonida foi socorrida por uma familiar que estava em casa e conseguiu identificar a tentativa de crime, desligando o telefone.


Casos como este precisam ser registrados junto a Delegacia de Polícia e também relatados para que possam servir de alerta para que outras pessoas estejam preparadas para lidar com o assédio dos golpistas.


SOBRE O GOLPE


O golpe ocorre por meio de uma ligação telefônica na qual criminosos simulam o sequestro de um familiar da vítima (normalmente filhos) e exigem como resgate dinheiro ou até cartão para crédito de telefonia celular.


Os bandidos normalmente ligam a cobrar, ou de um número até então desconhecido, dizendo que um parente da vítima foi sequestrado. Eles colocam na linha uma falsa vítima que começa a chorar e pedir ajuda, alegando que se o resgate não for pago ela será morta.


A Polícia Civil orienta para que a vítima mantenha a calma e aja com frieza para poder concluir que se trata de um golpe de falso sequestro; evitar passar informações para o falso sequestrador, pois muitas vezes o criminoso só sabe o nome do parente após a vítima se descuidar e revelar espontaneamente. Por isso é bom se antecipar e perguntar “quem está falando?”, e como a falsa vítima não saberá responder o golpe acaba sendo desmascarado.


Ligações reais de sequestro costumam ser curtas, não duram mais do que um minuto. As de falso sequestro duram mais porque o criminoso precisa extrair os dados da vítima para poder aplicar o golpe.


Outra dica importante é orientar idosos e crianças a não prolongarem conversas com desconhecidos. Se perceber isso, interceda, pois são as vítimas mais suscetíveis a caírem no golpe, seja pagando o resgate ou passando informações que depois serão utilizadas pelos criminosos.


Na eventualidade de receber uma ligação dessas, o melhor a fazer é desligar o telefone e tentar localizar o parente supostamente sequestrado. E após anotar o número do telefone registrar a ocorrência na Delegacia de Polícia para permitir a investigação e identificação dos criminosos.