top of page

Dani Alves ficou 15 minutos com mulher no banheiro de boate, diz jornal

O jornal El Periódico, da Catalunha, segue divulgando novas informações sobre o caso envolvendo Daniel Alves, detido em Barcelona por agressão sexual contra uma mulher. De acordo com o veículo de comunicação, as câmeras de vigilância do local confirmaram que o jogador brasileiro esteve por 15 minutos no banheiro com a jovem que o denunciou.

A informação divulgada neste domingo vai de encontro com um dos depoimentos de Daniel Alves durante o processo de agressão sexual. O brasileiro, detido desde a última sexta-feira (20), disse em um primeiro momento que não conhecia a jovem que o denunciou e, posteriormente, confirmou que a relação sexual entre eles havia sido consensual.


De acordo com o El Periódico, a mulher, que já informou a justiça espanhola que não deseja uma indenização pelo processo, disse em depoimento que foi trancada no banheiro, agredida por Daniel Alves e forçada a fazer sexo com o brasileiro.


DANIEL ALVES QUER DAR NOVO DEPOIMENTO


Segundo a rádio Cadena SER, da Espanha, Daniel Alves teria solicitado um novo depoimento sobre o caso neste domingo (22). Ainda de acordo com o veículo de comunicação espanhol, o jogador brasileiro teria tomado a decisão após a segunda noite detido em Barcelona.


Daniel Alves já teria dado três versões diferentes sobre o ocorrido no dia 30 de dezembro, na área VIP da boate na Espanha. Na primeira delas, o jogador disse que não conhecia a jovem de 23 anos. Posteriormente, Dani Alves admitiu que esteve com a mulher na boate, mas sem relação sexual. E depois, confirmou que houve sim o ato sexual consentido entre os dois.


O CASO


A juíza Maria Concepción Canton Martín decretou a prisão do jogador na última sexta-feira. Ele foi detido ao dar depoimento sobre o caso de agressão sexual contra uma mulher na madrugada do dia 30 de dezembro. O Ministério Público pediu a prisão preventiva do atleta de 39 anos, sem direito a fiança, e a titular do Juizado de Instrução 15 de Barcelona acatou o pedido, ordenando a detenção. O Pumas, do México, anunciou na última sexta que o contrato de trabalho de Daniel Alves com o clube será rompido por justa causa.


A acusação se refere a um episódio que teria ocorrido na casa noturna Sutton, em Barcelona. O atleta, que defendeu a Seleção Brasileira na Copa do Mundo do Catar, teria agredido sexualmente a mulher. Ela procurou as amigas e os seguranças da balada depois do ocorrido.


A equipe de segurança da casa noturna acionou a polícia catalã, que colheu depoimento da vítima. Ela também passou por exame médico em um hospital. Daniel Alves foi embora do local antes da chegada dos policiais.


Segundo a imprensa espanhola, a contradição no depoimento do lateral-direito foi determinante para o Ministério Público do país pedir a prisão, e a juíza aceitar. No início de janeiro, o jogador deu entrevista ao programa Y Ahora Sonsoles, da Antena 3, em que confirmou que esteve na mesma boate que a mulher que o acusa, mas negou ter tocado na denunciante sem a anuência dela, e disse que nem a conhecia.


No depoimento, porém, de acordo com os meios de comunicação da Espanha, o atleta afirmou ter tido relações consensuais com a mulher, cujo nome não foi revelado. O suposto crime sexual teria ocorrido num banheiro unissex da área vip da casa noturna.


fonte: GZH

Comentários

Não foi possível carregar comentários
Parece que houve um problema técnico. Tente reconectar ou atualizar a página.
bottom of page