top of page

Dia Mundial da Psoríase: doença é gerada pelo sistema imunológico e não é transmissível

Neste domingo, 29, é o Dia Mundial da Psoríase. A data foi instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS) com o objetivo de conscientizar sobre a doença que afeta profundamente a qualidade de vida das pessoas. Os sinais mais comuns são manifestações cutâneas, que surgem com o aparecimento de manchas avermelhadas ou a descamação da pele. Sobre este assunto a Uirapuru conversou com a Dra. Elisângela Welter – coordenadora do Ambulatório de Psoríase da Residência de Dermatologia da UFFS/HSVP e coordenadora do Centro de Infusão de Imunobiológicos em Dermatologia do HSVP.

Conforme a médica, a Psoríase tem influência genética. Fatores ambientais podem desencadear as crises, em qualquer idade. Obesidade, traumas na pele, stress, tabaco e infecções também são desencadeadores de uma crise com as lesões. O tratamento depende das manifestações clínicas do paciente. Quando não acomete grandes extensões de pele a lesão pode ser tratada com cremes e pomadas.

Áreas de difícil controle podem requerer medicamentos sistêmicos ou injeções, além da fototerapia, com radiação ultravioleta específica. A médica explicou que o tratamento segue evoluindo, com medicamentos imunobiológicos, efetivas e com grande incremento na qualidade de vida. Reforçou que o stress é um gatilho muito importante para novas lesões, sendo importante um conjunto de ações para melhor qualidade de vida. Finalizou explicando que a psoríase é gerada pela própria pessoa, por uma desorganização do sistema imunológico, não sendo transmissível entre pessoas.

O Hospital São Vicente de Paulo possui tratamento especializado na psoríase. O Centro de Infusão Imunobiológico, da Unidade Uruguai, do Hospital São Vicente de Paulo, é referência no tratamento da psoríase por meio de terapia infusional. No local, são realizadas aplicações supervisionadas, de medicações imunobiológicas, em pontos específicos da inflamação, gerando menos efeitos adversos. A indicação aos pacientes é feita por dermatologistas que sugerem a técnica por ser mais intensa e eficaz.A orientação para quem tem sintomas da doença é de não realizar automedicação e procurar atendimento médico. Mais informações pelo telefone (54) 3045 2000. No momento, o tratamento citado está disponível aos pacientes de convênios ou particulares.


POR UIRAPURU


Kommentare


bottom of page