Educação financeira ainda está distante da maioria dos brasileiros

#PortalEstaEmTudo


Falar sobre educação financeira e gestão do orçamento ainda são hábitos pouco praticados pela população brasileira. O assunto ganhou mais destaque devido à enorme instabilidade econômica gerada pela pandemia de covid-19. Para auxiliar os cooperados a equilibrar receitas e despesas, de forma a evitar problemas financeiros emergenciais, o Sicoob Creditaipu, em parceria com o Instituto Sicoob, são responsáveis por desenvolver palestras e dicas relacionadas a um dos pilares do Instituto: o eixo de Cidadania Financeira.


Entender o valor do dinheiro é um desafio e este aprendizado deve começar cedo na educação das crianças. Equilibrar os gastos entre as necessidades básicas, os sonhos e os objetivos para alcançá-los, é um ajuste que implica em mudanças de comportamento, hábitos e costumes.


Para Eduarda de Carli, do Sicoob Creditaipu, “há diversas maneiras de organizar a saúde financeira, mas a principal é manter o costume de registrar as receitas e despesas, seja por aplicativo, planilhas ou até mesmo em um caderno. Aproveito para deixar a dica de utilizar o App Minhas Finanças, do Sicoob, onde você registra todos os dados e ainda pode criar metas para o orçamento mensal”.


Além dessas dicas, o Sicoob Creditaipu promove anualmente palestras sobre educação financeira e, de forma mais enfática, participa e ajuda a divulgar a Semana Nacional de Educação Financeira (Semana Enef). Esse período é composto por uma intensificação de dicas, lives (transmissões ao vivo), palestras e diversas ações relacionadas ao tema de gestão do dinheiro.


O gerente da agência de Passo Fundo, Tiago dos Santos, e Eduarda de Carli, possuem capacitação pelo Banco Central do Brasil (Bacen) para serem intermediadores de palestras, levando essas dicas para toda a população. “Nesses momentos de interação com o público, costumamos levar exemplos claros e objetivos sobre o assunto, mostrando que todos devem manter o orçamento financeiro, avaliar bem os gastos essenciais e desnecessários, um teto de gastos e, principalmente, estabelecer metas e prioridades a serem alcançadas”, reforçou o gerente.


O alinhamento das ações deve manter o foco nas diretrizes de responsabilidade social e responder às perspectivas interna e externa do negócio: o que a organização espera da sociedade e o que a sociedade espera da organização. E, para aqueles cooperados que quiserem dicas e orientações sobre a saúde financeira de sua vida pessoal e empresarial, o Sicoob Creditaipu está à disposição para auxiliá-los na concretização de seus objetivos.


Fonte: Sicoob Creditaipu – Assessoria de Comunicação.