top of page

Pix será alternativa para cartão de crédito e empréstimos, avalia presidente do Banco Central

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse nesta sexta-feira (11) que a instituição financeira segue atuando em novas funcionalidades do Pix, sistema de transferência de recursos em tempo real.


Campos Neto afirmou que isso poderá ser, no futuro, uma alternativa ao cartão de crédito.

A declaração do presidente do BC foi dada um dia após ter informado que o Banco Central avalia alternativas para reduzir a inadimplência nas operações com cartão de crédito rotativo, como o fim do rotativo do cartão de crédito, e o parcelamento do saldo devedor com juro menor. Outra sugestão foi cobrar uma tarifa para compras parceladas com prazo maior.


“É super importante, a gente está fazendo várias políticas com o PIX crédito, que vão desafogar e dar alternativas. Mas a nossa ideia era dar uma opção que passasse por ter um parcelamento, e não ter o rotativo. De tal forma que a gente conseguisse equilibrar os números por produto. É importante que o cartão de crédito continue a ser uma alternativa viável”, disse durante participação no Fórum de Gestão Empresarial da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap).


Ainda não há informações sobre como funcionaria o Pix na modalidade de crédito, pois ainda não foi oficialmente lançado.


O Pix, sistema de transferências instantâneas, bateu novo recorde de transações na última sexta-feira (4). Pela primeira vez, a modalidade superou a marca de 140 milhões de transações em 24 horas.


Somente naquele dia, 142,4 milhões de transferências via Pix foram feitas para usuários finais. O recorde anterior tinha sido registrado em 7 de julho, com 134,8 milhões de transações num único dia.


Criado em novembro de 2020, o Pix acumula 151,9 milhões de usuários, dos quais 139,4 milhões de pessoas físicas e 12,5 milhões pessoas jurídicas. Em junho, o sistema superou a marca de R$ 1,36 trilhão movimentados por mês.


Quase três anos depois, sistema de transferências instantâneas já é usado pela maior parte dos consumidores brasileiros, tem substituído as transferências bancárias e já ultrapassou a utilização do dinheiro em pagamentos no país. O dado faz parte de uma pesquisa de uma consultoria.



Comments


bottom of page