Rio Grande do Sul deve colher sua maior safra de inverno em 2021

Para a safra 2021, a estimativa é que o Rio Grande do Sul tenha a maior produção das culturas de inverno, chegando a 3,7 milhões de toneladas de trigo.

Os dados foram apresentados pelo diretor técnico da instituição, Alencar Rugeri, que apresentou as estimativas dos principais grãos de inverno, que serão cultivados em 1,49 milhão de hectares, totalizando a maior produção dos últimos anos, cuja previsão é de 3,7 milhões de toneladas, o que significa um aumento de 10,8% em área e de 32,5% em produção, comparado ao ano anterior.


Principal produto da estação, o trigo deverá ter uma produção de 2,89 milhões de toneladas, o que representa um aumento de 37,81% em relação ao ano passado, que foi de 2,1 milhões de toneladas. Cultivado numa área de 1,08 milhão hectares, 13,29% a mais do que na safra passada, que foi de 953,8 mil hectares, o grão apresenta tendência de produtividade média de 2,6 toneladas/ hectare, 21,6% a mais do que a média da safra anterior, que foi de 2,2 toneladas/ hectare. Concentrado nas regiões de Ijuí (303,4 mil hectares), Santa Rosa (259,6 mil hectares) e Frederico Westphalen (135,3 mil hectares), chama a atenção o trigo ter aumentado 104,9% na área a ser cultivada na região de Pelotas, passando de 4,8 mil hectares na safra passada para 9,9 mil hectares nesta.


“Em julho e agosto, o ingresso regular de frentes frias e massas de ar frio deverá favorecer precipitações ligeiramente acima da média na maioria das regiões, com temperaturas mínimas e máximas abaixo da normalidade. Para setembro, as temperaturas deverão apresentar elevação natural e a tendência é de diminuição da chuva na Metade Sul, com precipitações normais no restante do Rio Grande do Sul”, projetou Varone.



Texto: Ascom Emater/RS