RS registra primeiro caso autóctone de chikungunya no ano

@Diário da Manhã

#PortalEstaEmTudo

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) confirmou nesta quinta-feira (4) um caso de febre chikungunya em uma mulher residente de Esteio.


É o primeiro caso no ano na qual a contaminação ocorre dentro do Rio Grande do Sul. A pessoa não tem histórico de viagem. No dia 21 de março, começou a sentir sintomas de dores nas articulações, músculos e irritações na pele.


A Secretaria Municipal de Saúde já realizou – nas áreas próximas à residência da pessoa – a varredura por locais com água parada, onde o mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti, se reproduz.


A infecção por chikungunya começa com febre, dor de cabeça, mal-estar, dores pelo corpo e muita dor nas articulações (joelhos, cotovelos, tornozelos e pulsos), em geral, dos dois lados, podendo também apresentar, em alguns casos, manchas vermelhas ou bolhas pelo corpo.

O quadro agudo dura até 15 dias e cura espontaneamente.


Principais sintomas da chikungunya:


– Febre– Dores intensas nas articulações (joelhos, cotovelos, tornozelos e pulsos)

–  Pele e olhos avermelhados

–  Dores pelo corpo

–  Dor de cabeça

–  Náuseas e vômitos


Cerca de 30% dos casos não chegam a desenvolver sintomas.


Normalmente, os sintomas aparecem de dois a 12 dias da picada do mosquito, período conhecido como incubação.


5a4e2ef62da5ad73df7efe6e_edited.png
  • Instagram
  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

© COPYRIGHT 2019, PORTALNMT

TERMO DE USO   |  PRIVACIDADE

WhatsApp-icone.png