top of page

Sobe para 15 o número de mortos após passagem do ciclone extratropical no RS


Subiu para 15 o número de vítimas do ciclone extratropical que atingiu o Rio Grande do Sul na semana passada. O óbito mais recente foi o de um homem encontrado na localidade de Costa do Ipiranga, em Gravataí, na Região Metropolitana, na tarde de segunda-feira (19).

Localizado em um córrego na Travessa Tavares, o corpo, segundo a Brigada Militar, não tinha marcas de tiros ou agressões. Moradores da região relataram ter visto o homem, há cerca de cinco dias, pedindo alimentos e agasalhos. Ele não tinha documentos. A identidade não foi confirmada, mas a BM estima que ele tinha cerca de 35 anos.

A passagem do ciclone extratropical foi classificada pelo governo do Estado como o desastre climático que mais causou perdas humanas na história do RS. O ciclone afetou especialmente municípios do Litoral Norte, do Vale do Sinos e do Vale do Paranhana.Conforme o balanço da Defesa Civil divulgado no começo da manhã desta terça (20), o número de desabrigados é de 1.538 pessoas. Em relação aos desalojados, o número subiu para 13.824 pessoas, com destaque para a cidade de Taquara, que reportou mais de 6,5 mil pessoas nessa condição.

Na noite de segunda-feira, o governador Eduardo Leite esteve reunido com o secretariado para atualizar e estruturar novas ações de apoio à população afetada. Leite disse que o momento é de organizar ações de restabelecimento das condições de moradia e estrutura para as famílias que perderam tudo.

Para acelerar esse processo, o governador determinou, durante a reunião, a criação de um grupo de trabalho envolvendo a Procuradoria-Geral do Estado e as secretarias de Planejamento, Governança e Gestão, da Fazenda e de Assistência Social.

O grupo deve trabalhar no desenvolvimento de uma política de apoio financeiro às famílias em situação de vulnerabilidade que sofreram perdas. A ideia é que o aporte extraordinário seja realizado por meio do cartão cidadão, no qual já são depositados benefícios como o Devolve ICMS.

Leite garantiu que não vai permitir que a situação caia no esquecimento.

— Nesta reunião distribuímos responsabilidades e estabelecemos prazos, porque não vamos deixar que se frustrem as expectativas dessas comunidades que foram atingidas e de toda a população gaúcha que acompanhou sensibilizada todo esse momento. Vamos acompanhar ponto a ponto. As necessidades estruturais das escolas, as vacinas que precisam ser providenciadas para aqueles que ficaram expostos nas enxurradas, pontes e estradas que precisam ser reconstruídas e o apoio financeiro para as famílias que perderam tudo — frisou o governador.

Donativos

A secretaria de assistência social afirma que tem recebido doações de água, materiais de limpeza e de alimentos. A Defesa Civil contabilizou 200 cestas básicas doadas em Maquiné, outras 200 em Caraá, mais 50 em São Sebastião do Caí. Segundo a Secretaria do Desenvolvimento Rural, a Ceasa já recebeu mais de 7 toneladas de doações de alimentos para as prefeituras das cidades afetadas.

POR GZH


Comments


bottom of page