Obras na ERS 142 diminuem ritmo devido ao clima


As obras na ERS 142 entre os municípios de Carazinho e Não-Me-Toque prosseguem com duas frentes de trabalho. Ambas as equipes realizam o alargamento da pista e a construção dos sete pontos onde haverá terceira faixa na via. Uma das equipes de trabalho concentra as intervenções no sentido Não-Me-Toque/Carazinho e o outro grupo realiza as obras a partir do bairro São Sebastião, em Carazinho, no sentido à Não-Me-Toque.


Conforme a 6ª Superintendência Regional do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (6ª SR-DAER), com sede em Passo Fundo, as obras seguem com percentual de conclusão em 50%, pois houve uma redução no ritmo devido ao clima. “Algumas frentes de trabalho estão mais adiantadas que outras, porque nesses dias frios que tivemos, nós não pudemos seguir com o recapeamento, por exemplo, já que não é recomendável trabalhar com o material com temperaturas menores de 10°C”, explica o superintendente da 6ª SR-DAER, Luís Antônio Moreira Teixeira.


Diante disso, o novo prazo de término das melhorias na ERS 142 foi prorrogado novamente. Com esta mudança de data, já é o terceiro prazo estipulado para que as obras sejam concluídas. Os atrasos foram justificados devido às condições climáticas.


De acordo com Teixeira, o novo prazo final para término das obras depende de definições do Tesouro Estadual. “Até junho, a empresa teve o pagamento efetuado com recursos ainda oriundos do empréstimo junto ao Bird. A partir de agora, estamos no aguardo da definição de onde sairá os valores próprios do Governo do Estado, para realinharmos o cronograma”, informa o superintendente.


Iniciadas no dia 20 de março deste ano, as intervenções na ERS 142, inicialmente, tinham como prazo para término o fim de maio. Inclusive, o prazo inicial para conclusão das obras foi estipulado obedecendo ao período máximo com que o Governo do Estado poderia fazer uso de um empréstimo do Banco Mundial.


O segundo prazo para término das intervenções foi estipulado até o fim do mês passado. Mas, novamente os trabalhos não puderam ser finalizados a tempo e o prazo final foi prorrogado novamente. Apesar de rotineiramente o Secretário Estadual dos Transportes e Logística, Juvir Costella, garantir a sequência das obras, até que não haja a definição de onde os recursos serão retirados pelo Governo do Estado, não é possível confirmar o prosseguimento dos trabalhos sem riscos de paralisação.


Vereadores cobram término das obras


Diante dessa realidade, os vereadores Ivomar de Andrade, de Carazinho, e Maiquel Delano Silva, de Não-Me-Toque, estiveram reunidos na quarta-feira (10) com o Secretário Estadual de Transportes e Logística, Juvir Costella.


No encontro, os legisladores cobraram a conclusão dos trabalhos e ouviram do secretário, novamente, a garantia de término das obras.


“Mesmo que os serviços estejam andando de forma mais cautelosa, mais lenta, o importante é que a obra seja concluída”, afirmou Costella aos legisladores presentes no encontro.



Resíduo de fresagem da via já está sendo liberado


Além da construção dos pontos de terceira faixa e do alargamento da via, as intervenções na ERS 142 também contam com o recapeamento completo de toda a pista. Esta ação já alcança aproximadamente 10 quilômetros de conclusão e é realizada no sentido Não-Me-Toque/Carazinho.


Porém, antes da colocação da nova camada asfáltica, o asfalto antigo mais superficial é retirado. O procedimento, chamado de fresagem, gera resíduos que são considerados de ótima qualidade para a melhoria na pavimentação de estradas de chão batido. E esse material já está sendo utilizado por prefeituras, como é o caso do Executivo de Carazinho.


Conforme o Secretário de Obras, Estevão De Loreno, a Prefeitura já foi autorizada a retirar da via três cargas diárias de resíduo. “Nós só estamos no aguardo da autorização do encarregado da obra para que possamos enviar caminhões para a busca desse material”, relata De Loreno.


Segundo o secretário carazinhense, o material será inicialmente estocado até que as ruas que receberão o resíduo estejam totalmente preparadas. “Nós precisamos, antes de colocar esse material nas ruas que iremos melhorar, fazer a ‘cancha’ dessas vias para receber o resíduo de asfalto”, detalha De Loreno.


Além desse material, as ruas que serão melhoradas também devem receber uma camada de pinche e posteriormente pó de brita. “Em vias que não possuam muito movimento, esse procedimento tende a durar anos. E fazendo um acabamento para manter esse material nobre na pista, conseguimos prorrogar ainda mais as melhorias”, conclui o titular da pasta de Obras de Carazinho.


O total de ruas que receberão as melhorias com o resíduo de fresagem asfáltica ainda não é conhecido pela equipe da Secretaria de Obras, tendo em vista que não há uma definição da quantia de resíduo que poderá ser utilizada pela Prefeitura carazinhense. A Prefeitura de Não-Me-Toque e o próprio Daer também utilizam os resíduos. No caso do Departamento Estadual, o material é destinado para melhorias na ERS 451, entre Colorado e Não-Me-Toque.


Fonte: Diário da Manhã

5a4e2ef62da5ad73df7efe6e_edited.png
  • Instagram
  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

© COPYRIGHT 2019, PORTALNMT

TERMO DE USO   |  PRIVACIDADE

WhatsApp-icone.png